ligia testa espaço de arte

 

 

 

projeto inos corradin:
um sopro do equilibrista ao meu ouvido

 

 

 
IMG_7412.jpg
 

um sopro esfuziante

 

Fazer parceria com Inos Corradin é um sonho antigo, pois minha paixão por sua obra vem de longa data. Ao transportar uma empresa italiana de São Paulo Para Jundiaí, cerca de 15 anos atrás, quando minha vida era profissionalmente distante da arte, decidi dar de presente ao presidente da empresa uma obra de Corradin. Assim, o conheci mais de perto, ganhei um livro maravilhoso dos 50 anos de sua arte, e ela me arrebatou em definitivo. Tudo isto ficou guardado num nicho relevante da minha memória e aflorou recentemente quando passei a comercializar suas gravuras.
Tivemos muitas conversas em seu atelier, algumas filmadas. Apresentei algumas echarpes com imagens de outros artistas parceiros e vi, imediatamente, o encanto nos olhos e nas palavras dele. Daí, foi um passo a convidá-lo para ser meu parceiro nas echarpes de seda pura, além de atuar como sua marchand e curadora em exposições que faremos em breve. Escolher quais imagens dele transpor para sair às ruas foi um drama que me tirou horas de sono. Mas acordei um dia e elas estavam definidas. Acho que foi um sopro do Equilibrista ao meu ouvido.
 
 

echarpes de seda pura...

-1.jpg

exposições...

Captura de Tela 2017-09-19 às 07.22.45.png

inos corradin

Nasceu em Vogogna, Itália, em 1929. Vive e trabalha em Jundiaí, SP.
Estudou pintura como o professor Tardivello. Colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural alusivo aos mártires da resistência italiana, em Castelbaldo, Padova, Itália. Em 1950 chegou ao Brasil, em Jundiaí. Em 1953 foi para Salvador da Bahia com o pintor Trinidade Leal. Conheceu o grupo artístico baiano da época Marie Cravo Junior, Rubens Valentin, Aguinaldo dos Santos, Carybé, Raimundo de Oliveira, Pancetti, Dorival Caimmi, Jenner Augusto, Wilson Rocha e Mirabeau. Em 1952 ganhou o prêmio no II Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo. Em 1975 recebeu o Prêmio Internacional Paris Sud, Paris – França e em 1979 levou o Prêmio Quadrivio de Pintura, Itália. Tem exposições realizadas na Galeria Oxumaré, Salvador – Bahia, na Galeria D’Hautbarr, Nova York – Estados Unidos, na Galeria Debret, Paris – França, na Galeria de Arte André, São Paulo, na Galeria Steigen-Berger, Berlim – Alemanha e participou do Salão Internacional Paris Sud, Paris – França.
-2.jpg

entre mágicos, equilibristas...

Acho que Jacob Klintowitz, em seu livro "O Ilusionista na Estrada", definiu bem demais o artista, merecendo ser lido aqui. “A produção de Inos Corradin, aos 87 anos, é esfuziante e certamente ele é um exemplar raro do artista que cria por prazer. O seu domínio do ofício é também raro, pois ele pinta à semelhança dos mestres. É curiosa uma época na qual temos que destacar como virtude o que parece a obrigação mínima de qualquer profissional. A iconografia do artista está centrada na figura humana travestida na sua função poética, o que explica a quantidade de trajes característicos, instrumentos musicais, cenas teatrais. Os seus mágicos, equilibristas, músicos, cantores, mímicos, artistas itinerantes sem pouso e que percorrem estradas apenas pressentidas, são quase os mesmos que no século XV andavam pelo interior da Itália e que criaram a lendária Commedia d’ella Arte. Hoje estes artistas ambulantes e a sua arte impregnada de improviso são o emblema da cultura antiacadêmica e o antípoda do naturalismo. O mundo contemporâneo ama e anseia por esta ação artística filha do eterno presente.”
 
 

 projeto antonio peticov para ligia testa

antonio peticov para ligia testa: gravuras e echarpes

 

 
The Evening Song.jpg
 

o projeto

Nasce da constatação de que a arte é imprescindível e deve sair às ruas, seus suportes devem-se ampliar. A arte cada vez mais funcional aproxima-se do design cada vez mais contemplativo. Desta forma, a linha entre ambos vai-se tornando mais tênue e nossos olhos cada vez mais cheios de encanto.

as gravuras

As 5 imagens foram escolhidas dentre o imenso acervo das telas do artista (em mais de 2.000 imagens), considerando-se a intensidade da cor e a combinação entre si para compor painéis atraentes, além, é claro, de uma estética adequada ao ser transportada para o novo suporte, as echarpes.

as echarpes

Assinadas uma a uma, de próprio punho pelo artista, o novo suporte é em tecido nobre – seda pura ou viscose de seda – em edição limitadíssima, apenas 30, numeradas e com certificado também assinado pelo artista. Gravuras para sair às ruas!

instituto peticov

Na celebração de seus 70 anos, Peticov abre sua casa, a gigantesca e exclusivíssima biblioteca com mais de 8 mil livros especializados, milhares de jogos de lógica e matemática, para entregar à sociedade o Instituto de Cultura e Arte Antonio Peticov, fonte permanente da discussão do ato da criação, do estímulo ao aprendizado e da aproximação das mais diversas oportunidades de desenvolvimento humano, através das artes e do pensamento matemático. Preparando-se para uma série de novas exposições, mostras e participações de importantes eventos no cenário nacional e internacional da arte, diz nunca ter parado seu trabalho cotidiano do criar, até por não mais conseguir distingui-lo da própria vida. Suas obras referenciais para a Cidade de São Paulo e instalações espalhadas pelo mundo são parte do fazer de um artesão da cor e da luz, com mais de duas mil obras criadas, nos mais diversos suportes.

 

coleção peticov para ligia testa

Eu não sei se vem de Deus do céu ficar azul... também Deus dá aos artistas a função de azulejar o nosso dia!
É Peticov com suas gravuras maravilhosamente geométricas (ele é um grande matemático, nenhum traço aí é por acaso)

gravuras e echarpes assinadas

13691070_1052694878150343_4898276583498996787_o.jpg
13558979_1041988222554342_5793385413706994870_o.jpg
13769453_1052341664852331_6273629301489483894_n.jpg
13765663_1052655248154306_5884186967905639729_o.jpg
13775557_1052339701519194_3161973594312599153_n.jpg
13724119_1052680298151801_5216402547167742252_o.jpg
13569014_1041988239221007_5954119714858049935_o.jpg